sábado, 27 de abril de 2013

Casa Aquática


Quando comprou a casa, o espaço já estava lá, construído, pronto para ser preenchido. Não pensou duas vezes: encheu de água e saiu para comprar os peixes.

É claro que tudo o mais também demandava a sua atenção, pintura, moveis, portão automático e toda a sorte de detalhes de uma casa nova, que vão compondo o ambiente, traduzindo personalidades.

E enquanto a casa ganhava a cara dos donos, os peixes iam sofrendo as suas adaptações. Foi quando ela descobriu que precisava combinar os peixes pois suas necessidades são diversas, em relação a PH e temperatura da água, por exemplo. 

E quem não entendia de nada disso, foi sofrendo os percalços e, os poucos, foi aprendendo. Os peixes que não podiam conviver juntos foram separados e ela montou outros aquários dentro de casa, para abrigar separadamente esses grupos heterogêneos. Depois veio a necessidade de montar um aquário maternidade e outro hospital, por razões óbvias e auto-explicativas.

Mas era grande o prazer de contemplar e acompanhar a vida desses seres nadadores, seus movimentos, suas cores, essa decoração viva que trazia uma paz enorme ao ambiente. 

A casa aos poucos foi se voltando para os seres com nadadeiras, as visitas se impressionando com a força que emanava dos aquários que iam aumentando a cada dia.

As crianças sabiam de cor todos os nomes, todos os gostos dos peixes, os pais contrataram uma firma de manutençao para dar conta da limpeza e cuidado mais especializado com os aquários.

Nada mais era comprado para a casa, tudo para os peixes, e mais peixes, tão belos nas suas composições, tão harmoniosos, e combinando com todos os estilos, tão ecléticos!  Mas não tinham ainda um aquário de água salgada... e correram a providenciar.

O tempo passava com o aumento da demanda por cuidados, por estudos, por mais aquários e peixes, mais cuidados e prazeres, mais belezas incontáveis, inimagináveis danças submarinas, os aquários invadindo os quartos, a cozinha, os banheiros. A cada movimento pela casa, um movimento oposto aquático se sobrepunha.

E era tanta a devoção, tamanha a confraternização pacífica, que um dia o cuidador de aquários encontrou uma carta informando que a família tinha decidido fazer parte da vida aquática e habitar os aquários

Até hoje, os amigos e a família tentam decifrar o enigma. Quais dos peixes são os os ex-humanos? Mas o que importa é que os depósitos chegam na firma de manutenção e a casa foi aberta para visitação, interessando mais pessoas da região a ter aquários em casa. Sem dúvida, um belo item de decoração!

2 comentários:

  1. Clau, AMEI....realmente um presente!!! bjos! Pat Fris

    ResponderExcluir
  2. Pat, acompanhar a história de vocês e dos aquários foi a inspiração. Cada um se preocupa com a decoração da casa a seu modo!

    ResponderExcluir